Nós precisamos falar sobre drogas

Nós precisamos falar sobre drogas

Neste fim de semana, além das 20 pessoas hospitalizadas, em que duas faleceram, durante e após o Mad Decent Block Party em Columbia, também houveram incidentes no HARD Summer Festival na Califórnia. Em ambos os casos, as hospitalizações ocorreram por abuso de drogas. E, ultimamente, houveram muitos casos como estes.

Muitos dizem que as drogas estão diretamente relacionadas à música eletrônica, mas, e o rock? E o reggae? E tantos outros gêneros musicais que sempre foram associados ao uso e abuso de substâncias ilícitas.

Alguns pais não deixam seus filhos irem a festas e festivais de música eletrônica por terem medo dos filhos serem apresentados a tais substâncias. Acreditam que é forte e inapropriado para sua pobre e inocente prole. Pobres pais. Eles mal sabem que as drogas estão muitas mais presentes e perto do que imaginam.

Claro que as várias notícias assustam as pessoas e as levam a acreditar que é realmente tudo isso, mas apesar do forte relacionamento entre música, seja eletrônica ou rock, e drogas, o consumo de drogas está mais fora desse parâmetro do que dentro.

Ano passado, após o Electric Zoo, onde dois morreram de overdose, Diplo e Jillionaire, partes do Major Lazer, alegaram que isso se deve à cultura conservadora dos EUA e que se deve ensinar as “crianças” como usar drogas de forma segura. Eu JAMAIS apoiaria o uso de drogas (Sou careta), mas se analisarmos o que eles disseram há um fundamento importante, que seria:

  • As drogas existem, é fato, e planos governamentais contra drogas não são muito eficientes. Então não seria mais fácil ensinar aos jovens que você pode até usar drogas, mas que tenha cuidado, que não abuse?

Não. Os pais, as pessoas, preferem ignorar isso, ignorar que as pessoas fumam maconha à luz do dia, que cheiram carreiras de cocaína em um canto mais escuro do bar, ou que em algum beco mais escuro da cidade, usam crack e outras drogas mais pesadas. E não vamos falar só do lado pobre. Nas festas de playboy, o pó rola solto. Junto com outras drogas mais caras.

Então, o que fazer? Lutar com mais afinco contra as drogas? Educar os jovens? Não sou eu que vou responder. Só quero mostrar que DrogasXEDM não andam assim tão coladas.