Retrô16: Os astros da EDM (calouros e veteranos) que foram enaltecidos por 2016

Retrô16: Os astros da EDM (calouros e veteranos) que foram enaltecidos por 2016

 

Após fazer uma retrospectiva com as músicas que embalaram o ano, chegou o momento de enaltecer os responsáveis por nos presentear com esses hinos. E olha que, para muitos 2016 não foi um ano lá tão bom, mas indiscutivelmente para a música essa teoria não se aplica. Afinal, tivemos aparição do Daft Punk no álbum do The Weeknd, a chegada de novos astros no cenário musical, e também os comebacks que marcaram a música pop, como Rihanna, Beyoncé, Lady Gaga, além dos novos álbuns do Drake, Kanye West, Frank Ocean e muitos outros.

Para a música eletrônica não foi diferente, com artistas emplacando suas faixas nas principais paradas, brasileiros conquistando mercado internacional, os recém chegados que já estouraram, até aqueles que não eram tão conhecidos e 2016 foi responsável por mudar essa situação. Sim, nesta parte da retrospectiva vamos relembrar dos artistas que mais se destacaram durante o ano. E para não ficar tão complexo, vamos separar em duas categorias: as revelações – geralmente são artistas novos, e os que mais destacaram.

Com apenas 19 anos, Alan Walker já é um nome de peso da EDM, e olha que esse sucesso todo aconteceu há pouco tempo. O produtor britânico viu sua carreira alavancar após o lançamento de “Faded”, em novembro de 2015, mas neste ano que a faixa realmente mostrou o seu poder. Walker que ficou em 55º lugar no Top 100 DJs, da DJ Mag, provou não ser um produtor de apenas um hit, afinal conseguiu emplacar os sucessores “Sing Me to Sleep” e “Alone”.

Jonas Blue é outro novato que começou com pé direito. O produtor britânico lançou no final de 2015 uma nova versão para “Fast Car”, sucesso de Tracy Chapman nos anos 80, e que voltou a ser um sucesso, mas dessa vez em um delicioso e dançante tropical house. Com o álbum de estreia sem previsão de lançamento, Blue lançou mais dois singles neste ano, e ambos foram bem recebidos pelo público, são eles “Perfect Strangers”“By Your Side”.

Talvez você o conheça, talvez não. Mas pelo menos (quem sabe?) uma das músicas você já ouviu em algum momento, nem que seja na propaganda do Spotify ou até mesmo no ônibus lotado, enquanto o amigo se recusa a usar fones de ouvido. Com apenas 20 anos, Kungs é uma das grandes apostas da EDM, e em 2016 emplacou o hit “This Girl”, resultado de uma parceria com Cookin’ on 3 Burners. O produtor francês até já lançou seu álbum de estreia, Layers, recheado de ótimas faixas para dançar e apreciar, como: “Don’t You Know”, “I Feel So Bad” e “You Remain”.

O cara já começou ostentando. Presta atenção… O britânico Bruce Fielder, mais conhecido como Sigala, usou como base a icônica “ABC”, do Jacksons 5, transformando da eletrizante “Easy Love”. A faixa foi tão bem aceita que pegou o topo nas paradas de seu país, tendo um bom desempenho também em outras localidades. Mesmo a faixa lançada em meados de 2015, junto com “Sweet Love”, foi em 2016 que o produtor ficou mundialmente conhecido, com uma sequência de singles divulgados, tendo até colaboração de Nile Rodgers e John Newman em uma das produções.

Não basta pegar a 25ª posição no Top 100 DJs, da DJ Mag, o produtor Alok, de 25 anos, quer conquistar de vez o público internacional, pois o nacional ele já cativou há tempos. Para se ter ideia, com seu último single lançado, o brasileiro veio quebrando alguns recordes. Além de dominar a parada brasileira do Spotify, “Hear Me Now” já se encontra no Top 50 Mundial, no mesmo serviço de streaming. A mesma faixa ainda aparece nos charts de outros países, como Noruega, Suécia e Dinamarca.

Não teve álbum, mas teve duas* músicas que fizeram muito sucesso desde que foram lançadas. Sim, esse comeback – que não é comeback – do Calvin Harris, que após o sucesso de “How Deep Is Your Love”, voltou com uma parceria (a terceira) tendo colaboração da cantora barbadiana Rihanna. “This Is What You Came For” foi divulgada no primeiro semestre, e seu videoclipe já conta com mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube. E teve também “My Way”, que segue o estilo mais farofa, com letra repetitiva e drops viciantes.

* Harris também colaborou com outros artistas, como Jhon Newman em "Olé" e Dizzee Rascal com a eletrizante "Hype".

Amém, DJ Snake. O francês não cansa de lançar músicas que fazem bastante sucesso, e em 2016 a sorte continuou ao seu lado. Teve “Talk”, e também sua colaboração com cantor canadense Justin Bieber em “Let Me Love”. O produtor ainda aproveitou o ano para soltar seu aguardado álbum de estreia, Encore, trazendo alguns singles anteriormente divulgados e outras faixas inéditas.

Os brasileiros estão com tudo, com produções de altíssimo nível. O FTampa, por exemplo, vem lançando faixas que podem facilmente ser comparadas criticamente com produções de grandes produtores mundiais. Agora o astro aposta todas suas fichas na incrível “Our Way”, com uma pegada super dançante, que não deixa ninguém parado. Neste ano teve também “Stay”. Ambas lançadas pela gravadora Spinnin’.

O ano também foi bom para o australiano Flume. Os singles “Never Be like You” e “Say It” tiveram uma excelente repercussão, sem falar do segundo álbum de estúdio lançado em maio, Skin. Fechando o ano com chaves de ouro, o produtor recebeu duas indicações para o Grammy, nas categorias: Melhor Álbum Eletrônico Melhor Gravação Dance.

O “Cloud Nine” aconteceu neste ano. Kygo, um dos pioneiros no tropical house, lançou em maio seu tão aguardo álbum de estreia, que além de contar com os hits “Firestone” e “Stole the Show”, trouxe incríveis músicas novas, entre elas: “Not Alone”, “Serious”, “Happy Birthday” e outras. Mas, em 2016, as músicas que melhor se destacaram foi “Raging” e “Carry Me”.

Quem diria, um produtor de apenas 20 anos sendo eleito como melhor DJ do mundo. Haja talento (ou popularidade), concorda? Isso aconteceu em 2016 para o Martin Garrix, sendo o mais votado no Top 100 DJs, da DJ Mag. O holandês também lançou uma faixa que vem conquistando a todos. Trata-se de “In The Name Of Love”, com colaboração nos vocais de Bebe Rexha.

Nada que se compare com “Lean On”, mas o grupo Major Lazer – formado por Diplo, Jillionaire e Walshy Fire – garantiu que ninguém ficasse parado durante o ano. Foram algumas faixas divulgadas, mas as que melhores se destacaram foi o remix de “Light It Up”, e a inédita “Cold Water”, com colaborações de Justin Bieber e MØ. Para o ano que vem, é esperado o novo álbum do grupo, “Music Is the Weapon”.

Formado por Andrew Taggart e Alex Pall, o The Chainsmokers teve um grande ano. Primeiro emplacando o hit “Don’t Me Down” nas paradas. E no segundo semestre com o megahit “Closer”, que tem ainda colaboração nos vocais da cantora Halsey. No fim de tudo, o duo ficou por 12 semanas no topo da principal parada da Billboard, recebeu indicações para o Grammy e ainda lançou um EP cheio de sucessos, mas com pouca novidade.