Retrô14: Melhores álbuns

Retrô14: Melhores álbuns

Dando continuidade em nossa retrospectiva, vamos falar sobre os melhores álbuns lançados durante o ano. Embora 2014 tenha sido escasso de álbuns de estúdio, tivemos grandes destaques, como foi o caso do Skrillex, Calvin Harris e David Guetta.

 

RECESS – SKRILLEX

Vamos começar com “Recess”, o tão aguardado álbum de estreia do Skrillex, lançado em 14 de março pela Big Beat Records, Asylum Records, e Atlantic Records.

O material foi gravado durante o período de 2011 até 2014, contando com a colaboração de artistas como: Diplo, Ragga Twins, G-Dragon, Kill the Noise, CL, e outros.

skrillex-recess

Assim como Beyoncé, o DJ inovou em sua forma de lançar o álbum, onde este foi divulgado através do aplicativo para smartphones Alien Ride, sem nenhum aviso prévio. O app é um jogo ao estilo de Space Invaders, só que ninguém esperava ter uma pasta com 11 arquivos ocultos, que foram liberados individualmente a cada meia hora no dia 10 de setembro.

Sobre a tática de lançamento, o empresário do Skrillex, Tim Smith, disse em entrevista para à Rolling Stone EUA que foi inspirado no disco Year Zero, do Nine Inch Nails, onde Trent Reznor deu pistas onlines e deixou pen drives em lugares aleatórios ao redor do mundo.

“Estávamos pensando em fazer algo subliminar”, disse Smith. “Mas [Skrillex] é mais direto que isso. Não queria confundir as pessoas ou deixá-las em um tipo de caça ao tesouro.”

“Recess” teve excelentes posições nos charts de todo o mundo, ficando em primeiro no Dance Albums (OCC) do Reino Unido e Billboard Dance/Electronic Albums.

 

A TOWN CALLED PARADISE – TIËSTO

Em 13 de junho, Tiësto lançou oficialmente o álbum “A Town Called Paradise”, com participação de artistas como: Icona Pop, Krewella, Matthew Koma, Hardwell, e outros.

Tendo Michel Zitron no vocais, “Red Ligths” foi escolhida como lead single do álbum, responsável por abrir os trabalhos de uma nova era do DJ, até então considerado por muitos, o Rei do Trance. O single foi seu primeiro da carreira do Tiësto a atingir o nº 1 na Escócia, alcançando também no Reino Unido, Austrália, Dinamarca, Noruega e Suécia.

A Town Called Paradise - tiesto

“A Town Called Paradise” foi bem aceito pela crítica especializada, mas alguns alguns fãs de longa data não pensaram a mesma coisa ao ver seu ídolo migrando para o house, onde o DJ aderiu aos sons de pianos, guitarras, diferentemente do seu álbum Kaleidoscope, lançado em 2009.

“EDM mudou o pop, e agora pop está mudando o veterano, DJ Tiësto.” disse Christopher R. Weingarten da Rolling Stone

Com um rendimento regular, o álbum vendeu 15 mil cópias em sua semana de lanamento nos Estados Unidos. Estreeou na 22ª posição no chart do Reino Unido, 18ª na Billboard 200 e 2ª na Billboard Dance/Electronic Albums.

 

WORLDS – PORTER ROBINSON

Talvez um dos álbuns mais esperados do ano, “Worlds”, do Porter Robinson foi lançado 12 de agosto. Sem medo de arriscar em um universo pouco explorado, Porter deixou o sentimento e a melodia falarem mais alto, um conceito de música eletrônica alternativa.

O álbum é composto de 12 faixas, dessas, 4 foram transformadas em singles, são elas: Sea of Voices, Sad Machine, Lionhearted e Flicker. Além da edição limitada Remix CD e Lionhearted 7″ Single.

worlds - porter

“Worlds”, foi recebido com críticas positivas pelos críticos de música. No Metacritic, que atribui uma classificação normalizada de 100 a opiniões de críticos convencionais, o álbum recebeu uma pontuação média de 63, baseado em 35 avaliações, o que indica “avaliações favoráveis.”

 

NEON FUTURE I – STEVE AOKI

Esse ano, Steve Aoki nos presentou com a primeira parte do seu segundo álbum de estúdio. “Neon Future I” foi lançado em 30 de setembro pela Ultra Records e Dim Mak Records, tem participações do Waka Flocka Flame, will.i.am, Chris Lake, Fall Out Boy, entre outros.

Das 10 faixas presentes no álbum, Rage the Night Away, Delirious (Boneless), Free the Madness, Get Me Outta Here e Born to Get Wild, foram trabalhadas como single.

Já a segunda parte está prevista para o inverno norte-americano de 2015. Enquanto o primeiro álbum segue uma linha ao estilo dance club, para o próximo é esperado algo mais dark e emocional do tema “Neon Future”.

neon future - steve aoki

Ainda sobre “Neon Future II”, Aoki disse ter uma canção chamada “Horizons”, e também uma participação do Linkin Park, sendo segunda colaboração depois de “A Light That Never Comes”.

 

MONEY SUCKS, FRIENDS RULE – DILLON FRANCIS

Esse é o terceiro álbum de estreia da nossa retrospectiva. “Money Sucks, Friends Rule”, do Dillon Francis, foi lançado em 27 de outubro pela gravadora do Diplo, a Mad Decent, em parceria com a Columbia Records. O LP possui colaborações de outros grandes artistas da EDM, como: Major Lazer, DJ Snake, Martin Garrix, entre outros.

Das 12 músicas presentes no álbum, metade já foram usadas como single (incluindo singles promocionais), começando pelo sucesso que deu um boom na carreira do Dillon, que foi Get Low, em parceria com o DJ Snake, também teve as faixas When We Were Young, I Can’t Take It, We Make It Bounce, Set Me Free e Love in the Middle of a Firefight.

money---dillon

O álbum atingiu a 2ª posição no chart americano da Billboard Dance/Electronic Albums e 40ª na Billboard 200. Lembrando que Ammo, Billboard, Oligee, Sultan + Ned Shepard e TJR, completam a lista de produtores colaboradores do “Money Sucks, Friends Rule”.

 

MOTION – CALVIN HARRIS

Eleito por muitos o melhor álbum do ano, Motion, quarto da carreira do Calvin Harris, foi lançado em 31 de outubro através da Deconstruction Records, Fly Eye Records e Columbia Records. Com uma ampla lista de colaboradores, Harris trouxe parceria dos sonhos que qualquer produtor/DJ sonharia em trabalhar junto, como: Gwen Stefani, John Newman, HIAM, Ellie Goulding, além de artistas como Tinashe, Big Sean, R3hab, Hurts, entre outros.

Com um total de 12 faixas, até o momento quatro foram escolhidas para tornar single, são elas: Under Control, Summer, Blame e Outside. Além dos singles promocionais, que foram: Slow Acid, C.U.B.A., Open Wide e Burnin’. Todas as músicas citas com exceção de C.U.B.A. ganharam um videoclipe, até porque, a base desta faixa é usada em Open Wide, e acabaria tornando algo meio que redundante.

motion - calvin harris

O álbum recebeu respostas mistas dos críticos. No Metacritic, que atribui uma classificação média ponderada de 100 opiniões de críticos convencionais, o álbum recebeu uma pontuação média de 57, baseado em nove revisões, o que indica “críticas mistas ou médias”.

“Vencedor EDM”
disse Glenn Gamboa de Newsday em relação ao álbum

“Motion” debutou na 2ª posição do chart no Reino Unido, com 37.325 cópias vendidas em sua primeira semana. Estreou também em 5º lugar na Billboard 200, dos Estados Unidos. “Motion” tornou o segundo álbum consecutivo do Calvin Harris a conseguir a primeira posição no chart da Billboard, Dance/Electronic Albums. Os três primeiros singles “Under Control”, “Summer” e “Blame” atingiram o topo das paradas de singles do Reino Unido, enquanto “Outside” chegou a 6ª posição até o momento.

 

LISTEN – DAVID GUETTA

Em 21 de novembro David Guetta lançou seu tão aguardado sexto álbum de estúdio, Listen, com um time incrível de colaboradores, escritores e co-produtores. Entre as colaborções (os featurings) temos Sam Martin, Emeli Sandé, The Script, Nicki Minaj, John Legend, Nico & Vinz, Sia, Ryan Tedder, Magic!, Bebe Rexha, entre outros. Nos co-produtores temos Giorgio Tuinfort, Avicii, Afrojack, Nicky Romero, Showtek e Stadiumx. Natalia Kills, Alicia Keys e The-Dream, foram alguns dos compositores adicionais.

A versão standard possui 14 faixas, já a deluxe tem mais 4 adicionais. Destas, 5 já foram selecionadas para se tornar single, Shot Me Down, Bad, Lovers on the Sun, Dangerous e What I Did for Love.

listen - david guetta

O Guetta quis se reinventar com este álbum, fazendo um som diferente do urban e do dance, que o deixou famoso em One Love, álbum lançado em 2009.

“Até hoje eu estava fazendo um monte de canções sobre a felicidade, amor, sensualidade e apenas fazia a festa – era basicamente a minha vida, você sabe? Ultimamente, a minha vida pessoal tem sido um pouco mais difícil, por isso também reflete no álbum, sobre as coisas que nós estamos falando, sobre o tipo de acordes. Eu nunca fiz isso, porque, mesmo para mim, era tudo sobre como fazer as pessoas dançarem.”
disse o David Guetta

“Listen” teve críticas mistas, recebidas dos críticos de música. No Metacritic, que atribui uma classificação média ponderada de 100 opiniões de críticos convencionais, o álbum recebeu uma pontuação média de 51, baseado em 8 avaliações, o que indica críticas mistas ou médias.

Em sua semana de lançamento, o álbum vendeu 24.385 cópias, ficando em 8º lugar no chart do Reino Unido. Nos Estados Unidos, o álbum estreou na 22ª posição da Billboard 200, com vendas na primeira semana de 25.000 cópias. “Listen” também estreou no número um na Dance/Electronic Albums.


Para 2015, é esperado grandes álbuns de estreias, como do duo Axwell Λ Ingrosso, Hardwell, Steve Angello e também do NERVO. Além desses, no próximo ano também deveremos desfrutar do segundo álbum do Avicii.