Review: As músicas do Alesso que ficarão para sempre em “Forever”, seu álbum de estreia

Review: As músicas do Alesso que ficarão para sempre em “Forever”, seu álbum de estreia
Forever - Alesso
Produção
Diversidade
Originalidade
4.4

Tivemos a honra de ser convidados para ter acesso ao conteúdo exclusivo para um dos álbuns de estreia mais aguardados da cena EDM: “Forever”, o álbum do Alesso, que será lançado mundialmente em 26 de maio, e que também chegará ao Brasil na versão física (ainda sem previsão de lançamento).

O DJ e produtor sueco de 23 anos preparou um material de altíssima qualidade, onde além de produzir músicas fantásticas, também teve uma preocupação com a criação das letras. Durante uma recente entrevista concedida à Billboard, Alesso falou que esse material tem muito de si, e também comentou sobre sua visão de como Kurt Cobain, do Nirvana, mudou a música eletrônica.

“Esse material tem o meu sangue bombeando, mas eu estou tentando cavar mais fundo com música eletrônica. As pessoas dizem que [EDM] é sem alma, coisa simples. Kurt Cobain escreveu sobre miséria e desgosto. Por que eu não posso?”

Em sua tracklist, Forever já carrega grandes hits, alguns deles multiplatinados, como é o caso de Heroes (we cloud be) e Under Control. Algumas dessas músicas você poderá ver em campanhas publicitárias e trilhas de jogos. Vem ver nossa análise sobre cada música do álbum.

Capa do álbum

Capa do álbum

01 Profondo | 2:19

Logo nos primeiros segundos, ao badalar do sino, Profondo já causa um profundo arrepio. A faixa traz consigo muitos surrounds que ajudam a torna-la mais realista. A música é, na verdade, uma introdução de PAYDAY, que também é toda instrumental. No início, podemos distinguir cada elemento sonoro, já que estes são expostos de maneiras pausadas, até que a track toma embalo e começa a criar forma. E então chega em seu ápice, emendando na faixa seguinte.

 

02 PAYDAY | 3:17

Alesso abusou da sua habilidade em PAYDAY. Ao mesmo tempo em que produziu a track para servir como trilha da nova sequência do jogo PAYDAY, o produtor fez algo que pudesse tocar durante os seus. Muitos já conhecem a faixa, que traz uma sonoridade marcante e harmônica, com alguns elementos que chegam a lembrar outra produção também presente no álbum, o single “Tear the Roof Up”. Um dos momentos de maior destaque ocorre durante a ponte, onde os sons surrounds junto com o piano proporcionam uma ideia de fantasia – assim como nos áudios dos teasers divulgados pelo Tomorrowland – até que volta a todo vapor para o groove original.

 

03 Heroes (we could be) [feat. Tove Lo]  | 3:31

Com colaboração da cantora sueca Tove Lo, Heroes (we could be) foi lançada como single em agosto de 2014, e se tornou o maior sucesso da carreira do Alesso. Com o estilo progressive house, a música é, sem dúvida, uma das mais comerciais do álbum. Sua melodia vai tornando cada vez mais contagiante, associada com a letra que ficou ainda mais marcante na voz da Tove.

Everyday people do everyday things but I Can’t be one of them

Para intensificar a divulgação do single, o videoclipe foi lançado em outubro de 2014, contando com participação de vários figurantes, muitos efeitos especiais, poderes e a Tove Lo com asas (um anjo!). Sem falar da fotografia, que conseguiu deixar o clipe muito fiel aos filmes de ação e ficção científica.

 

04 Tear the Roof Up  | 3:16

Lançada no mesmo período que Heroes (we could be), o electro house de Tear the Roof Up mantém praticamente a mesma frequência de batidas por minuto durante toda a faixa. Claro que, em alguns momentos, as batidas se tornam maiores, para que cause aquele êxtase, e aí a gente começa a delirar e a dançar sem parar até os pés pedirem arrego.

We’re getting louder than beats and I’mma tear up the roof

Com um instrumental tão bem trabalhado, a letra de Tear the Roof Up resume-se basicamente em uma frase. Para o Alesso, a música teve a missão de proclamar o início da nova era de sua carreira, coisa que aconteceu de fato. Vale ressaltar que esta track foi tema do MTV Europe Music Award 2014, onde era possível ouvir durante as várias chamadas promocionais.

 

05 Cool (feat. Roy English)  | 3:42

A quinta faixa do álbum de estreia do Alesso foi lançada recentemente como single, tendo até videoclipe divulgado. Logo de cara, podemos observar a presença de um sample da música “Get Outta My Way”, lançada em 2010 pela cantora australiana Kylie Minogue.

Ought to scream in front of you I’m trying to keep it cool but I can’t keep cool about it

Ao decorrer da faixa, que começa só com o sample, somos recebidos pelos marcantes vocais de Roy English e novos elementos sonoros que vão compondo um progressive house (que se tornou característico do Alesso). Sem falar do refrão junto com o drop que vem em sequência. E aí você já quer cantar, dançar, pular, gritar, entre outras reações que causam essas libertações.

 

06 Scars (feat. Ryan Tedder)  | 3:18

A primeira colaboração entre Alesso e o Ryan Tedder, do OneRepublic, deu super certa. Então, meus amigos, qual a probabilidade dessa parceria dar errado na segunda? NENHUMA. Scars tem tudo para ser um possível single, já que é extremamente comercial, com sua melodia e refrão grudentos, sem falar do drop viciante. Uma verdadeira música chiclete que promete fazer muito sucesso tanto em festivais/clubs quanto nas rádios.

Cause I’m in love in these scars for life

Com relação a sua estrutura, Scras não apresenta nenhuma novidade em vista das músicas atuais no mercado da EDM. Um autêntico progressive house, onde a faixa começa calma e vai tomando alma e ritmo. Entretanto, o Alesso abusou de elementos sonoros fazendo desta uma das faixas mais radiofônicas do álbum.

 

07 Sweet Escape (feat. Sirena)  | 3:52

O Alesso acertou mais uma vez, principalmente na escolha dos vocais. A sétima faixa do álbum Forever, Sweet Escape, tem colaboração de uma cantora até então desconhecida por muitos, a Sirena. Entretanto, a sueca tem vocais suaves e marcantes que se encaixaram com muita harmonia ao instrumental de toda a música.

Gotta break free, like a shooting star, let the skyline guide us

Talvez pela sua leveza com a presença de elementos que simulam o som de um violoncelo, Sweet Escape é outra forte aposta para se tornar um futuro single, sendo também muito radiofônica. A letra não fica para trás, onde ela te encoraja e seguir em frente e deixar o medo de lado. Resumindo, esta faixa é daquele tipo que é muito bom ouvir todos dias logo pela manhã, dando aquela levantada na autoestima e incentivando a nunca desistir, sabe?

 

08 Destinations  | 5:29

Após uma sequência de sete músicas dançantes, variando entre os estilos do electro house e progressive house, Alesso nos surpreende com Destinations. É como se fosse uma pausa para você se recuperar. A faixa, que não possui vocais, é uma das mais alternativas apresentadas no álbum, explorando uma nova faceta do DJ até então pouco conhecida.

Destinations é uma espécie de trip hop, que é aquela música eletrônica mais lenta, com batidas desaceleradas e uso de alguns instrumentos convencionais. É uma música para refletir a vida, buscar a paz interior, desestressar… Apesar de ser bem calminha, é aquela canção que você quer ouvir até o fim e depois repetir. E repetir. E repetir.

 

09 If It Wasn’t For You  | 3:52

A nona faixa do álbum, If It Wasn’t For You, é um progressive house bem eletrizante e já começa com os vocais fortes do cantor sueco Simon Strömstedt (se você pensou que era o Ryan Tedder, acredite, nós também), que também ajudou o Alesso na composição da letra. A faixa é extremamente comercial. Não é à toa que se tornou o atual single do DJ, mas não chega ser tão radiofônica como outras músicas presentes no álbum.

I was alone, I was made of stone, you took me home, we built a world, a world for us, we flew like birds, a new beginning

Assim como em PAYDAY, Alesso, além de fazer If It Wasn’t For You seu novo single, aproveitou para fechar contrato com a marca Carolina Herrera, usando a música como tema para campanha publicitária do perfume 212 Vip.

 

10 In My Blood  | 3:04

In My Blood é muito para um só coração! Primeiro: a música tem os vocais de ninguém mais ninguém menos que John Martin, aquele da voz icônica nos hits do Swedish House Mafia em “Save The World” e “Don’t You Worry Child”, sem falar que o cantor sueco co-escreveu a música junto com o Alesso. Segundo: o refrão é extremamente grudento, o drop é mais grudento ainda e a melodia em geral consegue ser mais grudenta que o refrão e o drop juntos. Terceiro: por ser uma faixa de curta duração, ela te fazer querer ouvir mais e mais.

‘Cause you’re burning, burning this heart of mine, and you’re burning, right through my face tonight, you’re in my blood

Resultado disso tudo? Um forte e possível single, levando em conta que é viciante, bem produzida e a letra fica na memória. Além disso, a música é curta – uma vantagem na hora de ser reproduzida nas estações de rádio sem edições e cortes.

 

11 Under Control (feat. Hurts)  | 3:05

Daí muita gente fica se perguntando o porquê de Under Control estar na tracklist do álbum, sendo que música foi lançada em outubro de 2013. Acontece que, além de ser um dos maiores sucessos da sua carreira, a música foi feita junto com o Calvin Harris e tem colaboração do duo Hurts, sem esquecer do simples fato de ser o álbum de estreia do DJ. Enfim, era inevitável ele não colocá-la.

I might be anyone, a lone fool out in the sun, your heartbeat of solid gold, I love you, you never know

O que pouca gente sabe é que, antes de Under Control ser Under Control, Alesso apresentou durante o Electric Daisy Carnival 2012 um remix de “Wild Ones”, do Flo Rida com a Sia, onde é possível ouvir claramente o instrumental da faixa, que na época carregava o nome de “Gounda”. Logo depois, Calvin Harris surge na vida do Alesso, e juntos escrevem a letra e dão uma aprimorada na música de forma geral. E, com o toque Hurts, deu no que deu: um hit mundial.

 

12 All This Love (feat. Noonie Bao)  | 4:11

Durante os primeiros segundos ao som de um instrumento de corda, a voz da cantora sueca Noonie Bao começa a dar forma para a música All This Love, a décima segunda do álbum. De todas as faixas com presença de vocais, podemos dizer que essa é a mais calma, com um uma sonoridade que cativa e ao mesmo tempo traz muitas vibrações. O ápice da música fica completamente focado no drop, já que o refrão passa um tanto quanto despercebido, sendo quase impossível não se envolver com a progressão que o instrumental dessa faixa vai tomando com o decorrer do tempo.

 

13 If I Lose Myself (Alesso vs OneRepublic)  | 3:35

Outra música que já conhecemos há bastante tempo e que o Alesso fez questão de deixar registrada em seu material de estreia é o remix de If I Love Myself, do OneRepublic. O DJ conseguiu fazer o que nem sempre dá certo: deixar a versão remix tão boa quanto a original, e até melhor.

O remix foi lançado em abril de 2013 sem muitas alterações drásticas, mas claro que como um progressive house, após os refrões, o Alesso abusou da sua habilidade e ousou com um drop que casou perfeitamente com a música.

 

 

14 Immortale  | 3:11

Causando o mesmo efeito que Destinations de dar uma pausa para repousar, Immortale vai além, já que é a faixa a última do álbum. Ela traz um sentimento de realização e ao mesmo tempo queremos ouvir mais. Os sons do piano fizeram a música ficar ainda mais reflexiva, parecendo aquelas faixas de meditação, onde você um cria ambiente em sua imaginação e vive várias situações. Só faltou as vozes para guiar os pensamentos.

Por ser um álbum de EDM, ficou bastante interessante essa estratégia do Alesso, colocando faixas para amenizar um pouco os ânimos, onde as pessoas possam se recuperar e voltar a todo vapor, ao mesmo tempo em que ele não deixa perder o foco do álbum, mantendo a qualidade e melodia impecáveis.


Após ouvirmos o material completo, fez sentido toda essa demora do Alesso em lançar o álbum de estreia. O DJ esteve todo o tempo preocupado em fazer algo que não fugisse de sua identidade, mantendo a qualidade, ao mesmo tempo em que apresentasse um trabalho inovador e diversificado. Uma estreia que será lembrada FOREVER.

Entretanto, algumas colaborações que esperávamos ver nesse álbum não aconteceu, como a do seu mentor Sebastian Ingrosso, embora ambos já tenham trabalhados juntos na faixa “Calling (Lose My Mind)”, lançada em 2011. Também não rolou uma nova colaboração com o queridinho dos DJs, o Matthew Koma.

Vale lembrar que Forever será lançado em 26 de maio e a pré-venda já encontra-se disponível. O álbum, que é extremamente comercial, tem tudo para cair no gosto do povo e ser um tremendo sucesso. E por que não, o álbum do ano?


  • Augusto Correia

    Excelente

  • Fernando Ítalo

    To esperando esse álbum a um bom tempo, mas ao mesmo tempo espero que não vaze, que nem aconteceu com o do Zedd

    • Realmente Fernando, tomara! O Alesso fez um trabalho incrível e vai ser lindo dia 26 quando todos puderem compartilhar desse som.