Review: Muito fogo e moombahton, é o que se encontra no “This Mixtape Is Fire” do Dillon Francis

Review: Muito fogo e moombahton, é o que se encontra no “This Mixtape Is Fire” do Dillon Francis
This Mixtape Is Fire - Dillon Francis
Produção
Diversidade
Originalidade
3.7

Quase um ano após o lançamento do seu álbum de estreia, “Money Sucks, Friends Rule”, o DJ e produtor americano Dillon Francis, volta com um novo e incrível EP, tendo colaborações dos produtores Kygo, Calvin Harris, Skrillex e Bro Safari.

“This MIxtape Is Fire” foi lançado em 14 de agosto, via Columbia e Sony Music. O EP possui um total de 7 faixas, sendo uma delas, o remix de “I Can’t Take It”, presente no álbum do Francis, mas desta vez, produzido pelo Party Favor. Tendo também, músicas com participações de outros artistas, como o cantor James Hersey e o duo Chromeo.

O material segue o estilo moombahton, uma das vertentes mais rebolativas da música eletrônica, resultado da mistura entre dutch house e o reggaeton. Lembrando que o Dillon Francis foi um dos pioneiros a investir nessa vertente criada pelo Dave Nada.

Dillon-Francis-This-Mixtape-Is-Fire-2015-1200x1200

Capa do EP.

01. Bruk Bruk (I Need Your Lovin)

O EP começa com a explosiva “Bruk Bruk (I Need Your Lovin)”, e já de cara conseguimos aprender a letra, até porque, pode ser resumida em uma única frase “I need your lovin”, sem falar dos “oh oh ooh oh”. Com 3:17 de duração e 112 batidas por minuto, a faixa foi escolhida como o primeiro single, que por sinal foi uma ótima opção para iniciar a divulgação do material, pelo fato de ser uma das mais dançantes e viciantes. Ótima para tocar em clubs, e até para ouvir com o fone de ouvido, difícil mesmo é conseguir ficar parado.

Recentemente, foi divulgado o cômico lyric video da faixa, bem a cara do Dillon Francis, usando a temática do EP como referência. Já o videoclipe ainda não foi lançado, mas deve sair em breve.


 

02. What’s Your Name

Talvez, uma das faixas mais aguardadas. “What’s Your Name” é resultado da parceria entre o Dillon Francis e o DJ/produtor escocês Calvin Harris. Com 112 batidas com minuto, a faixa é estritamente dançante, um electro house que vai progredindo ao decorrer do tempo.

Embora um artista atue mais com o moombahton e o outro com progressive house, é bem difícil identificar qual parte foi produzida por quem, se bem que, os segundos iniciais possuem um som bem característico do Calvin Harris, enquanto os drops se assimilam com outros já lançados pelo Dillon.

Mesmo sendo previsível, “What’s Your Name” possui poucas repetições, com mudanças graduais. Sua letra é minimalista, os vocais são bem envolventes, tornando impossível não cantar “I say what’s your name” enquanto a música está tocando, às vezes, até depois que acaba, e você com ela na cabeça.


 

03. Bun Up the Dance

Outra pancada. A terceira faixa do “This Mixtape Is Fire” tem colaboração do DJ/produtor americano Sonny John Moore, mais conhecido como Skrillex. Com 108 batidas por minuto, 3:34 de duração e classificada como electro house, “Bun Up the Dance” é a consequência perfeita da junção desses dois artistas, e um forte concorrente de “What’s Your Name” para tornar o próximo single, se facilitar, até mais forte.

I want a little fire, now give me the light

Desde o início, os versos presentes na música são repetidos com muita frequência, o que torna mais fácil você acostumar e se envolver com o som, enquanto os instrumentais vão se desenvolvendo ao decorrer do tempo, provocando uma mistura contagiante. “Bun Up the Dance” tem seu ápice durante o drop acompanhado do refrão, e vai recebendo novos elementos gradativamente. O resultado final é tão bom que pode ser considerado uma das melhores produções presentes no EP.


 

04. Pull It

Até o momento, talvez, a faixa mais sem sal presente no material. Produzida com colaboração do americano Bro Safari, “Pull It” pode te arrancar alguns passos, caso goste de moombahton, mas não é aquela música que te faz querer ouvir sempre mais, não sendo uma das melhores opções para curtir sozinho, entretanto, ideal para clubs e festivais.

Mesmo sendo uma faixa instrumental, em alguns momentos conseguimos ouvir uma voz feminina falando “pull it”, e também uma masculina que fala “quiero tenerte”. “Pull It” tem 110 batidas por minuto, uma duração de 3:05 e elementos que vão progredindo proporcionalmente ao decorrer da música, onde o ápice acontece durante o refrão, ou melhor, o drop.


 

05. Coming Over (feat. James Hersey)

O que esperar da parceria entre o Rei do moombahton com o Rei do tropical house? Sem sombra de dúvidas, “Coming Over” é a música mais melódica e radiofônica do “This Mixtape Is Fire”, que além de ter a colaboração do produtor norueguês Kygo, têm os vocais do cantor americano James Hersey casando perfeitamente com o instrumental.

Por se tratar de vertentes distintas, esta é a única música da qual você consegue melhor distinguir qual parte é produzida por quem, sendo notória a predominância de elementos sonoros característicos de outras produções já realizadas pelo Kygo. Vale ressaltar que foi ele quem inaugurou o tropical house em 2014.

If I stay here would you come back, if I stay cool would you be mad, would you want me if I want you, that way

Por ser uma música com letra e melodia viciante, “Coming Over” é aposta mais certeira que o Dillon pode fazer para as rádios. Ideal para ouvir com fones de ouvido, em uma festinha, club ou festival, resumindo, para todos os lugares e para qualquer momento. Classificada como Pop/Rock, a faixa tem duração de 2:58, com 87 batidas por minuto.


 

06. Lies

A sexta e última música inédita do EP, tem colaboração do duo canadense Chromeo, formado por P-Thugg e Dave 1. Com uma sonoridade bem mais calma e sensual, “Lies” é aquele tipo de faixa que a gente gosta de ouvir quando quer esquecer do mundo e viajar na imaginação.

Esta é outra música com uma composição bem curta, onde a letra pode-se resumir em “Girl, you know it’s true / Don’t let me lie to you”. Já as vozes são robotizadas, que por sinal, são muito parecidas com a do duo Daft Punk, mas que fique claro, não é o Daft Punk.

Assim como “Coming Over”, “Lies” tem o gênero classificado como Pop/Rock, enquanto todas as outras são Electro House, além de ter apenas 2:16 de duração, com 92 batidas por minuto.


 

07. I Can’t Take It (Party Favor Remix)

E para fechar com chave de ouro, o Party Favor pegou “I Can’t Take It”, presente no álbum de estreia do Dillon, e produziu um remix fantástico, que além de deixar a faixa mais dançante, ficando tão boa, quanto a versão original.

De cara, o remix já começa com uma fala do Dillon Francis, e poucos segundos depois, já mescla com a música, que vai tomando progressão gradativamente, onde possui os vocais inseridos alternadamente entre tons graves e agudos, até ter seu ápice no drop.

Com 104 batidas por minuto, o remix é explosivo, viciante e muito dançante, do tipo: indispensável em uma playlist para tocar em uma festa.


 

Com colaborações e amizades dos sonhos, Dillon Francis conseguiu de fato, fazer dessa mixtape um fogo. Com músicas voltadas para festivais, clubs, e também aquelas mais focadas para serem veiculadas no rádio. Se ele colocasse mais 3 ou 4 faixas, já dava para lançar um novo álbum, em vez de um EP.

O curioso é, com tantas parcerias nesse material, o produtor acabou criando uma única música sozinho, no caso, “Bruk Bruk (I Need Your Lovin)”. Não desconfiando do potencial do Dillon, que é incontestável, mas foi uma ótima jogada para subir as vendas, até porque, Calvin Harris, Skrillex e Kygo são artistas que estão sempre em alta.

Sem dúvidas, “This Mixtape Is Fire” é um dos melhores lançamentos do ano, assim como o álbum de estreia do Alesso, Years & Years, e também do Galantis. Estando disponível para compra digital no iTunes e também nos principais serviços de streaming de música, como Spotify, Apple Music, entre outros.