Será que a EDM sobreviverá aos apelos da indústria?

Será que a EDM sobreviverá aos apelos da indústria?

A música sempre esteve presente no mundo. Desde os primórdios da humanidade, pra falar a verdade. Mas nas últimas décadas, surgem mais e mais gêneros e subgêneros que podem ou não ser bom, isso vai do gosto de cada um.

O que dizer de nós, loucos por EDM (caso não saiba, a sigla significa Electronic Dance Music)? A EDM surgiu em seu estado mais bruto nos anos 70, ganhando força nos anos 80, a década da brilhantina. Mas não era os tão famosos tunts, tunts, era algo mais disco misturada com blues, as famosas discotecas. Mas parar por aí não dava, devido a isso vieram as inovações chegando aos anos 90, com Mobi, Fatboy Slim, entre outros DJs que fizeram história. Mas não é que gostamos de mudanças? Surgem vários, mas quando eu digo vários, é vááários mesmo subgêneros da EDM: dubstep, trance, Trap, e lá vai lavanca como diria minha avó.

Mas hoje em dia, talvez a música eletrônica não seja mais apenas um gênero, não, tem se tornado algo mais comercial. Inovações estão perdendo espaço para a mesmice (não citarei nomes) que só serão boas se forem “boas aos olhos das gravadoras e estações de rádio”. A EDM é mais que isso! Pra muitos é um meio de se expressar sem letras. Tá, vocais são ótimos, mas digamos que o gênero combine mais com bons beats do que com letras.

A Electronic Dance Music vem se tornando a famosa modinha. Tanto que muitos artistas de música pop vem convidando produtores da cena para produzir seus novos trabalhos. Um exemplo recente é o Zedd produzindo para a cantora Lady Gaga. Isso é bom? Sim. Mas até quando? A música eletrônica vai se tornar algo obsoleto antes mesmo de mostrar sua força total? Será apenas mais um elemento na música POP? Não sabemos nem podemos impedir isso. O que é uma pena, pois a EDM não mostrou o que realmente é capaz de fazer. Sonha com Tomorrowland, TomorrowWorld, ULTRA? São apenas aperitivos do que a EDM realmente representa, afinal esta é mais do que apenas os “tunts tunts”. Agora, se sobreviverá ao apelo da indústria pop, isso não poderemos garantir.