Spotify fará algumas músicas serem exclusivas para assinantes pagos

Spotify fará algumas músicas serem exclusivas para assinantes pagos

O gigante do Streaming, Spotify tem mantido uma campanha para se manter como um serviço que eles chamam de ‘freemium’ – com usuários que não pagam por sua assinatura, porém tem que ouvir propagandas entre suas músicas, enquanto usuários assinantes podem ter uma experiência sem propagandas. Porém uma mudança nessa polícia irá acontecer em breve, de acordo com reportagem do The Wall Street Journal.

Essa mudança de valores se deu depois de um boicote das duas mais influentes e rentáveis artistas desta década: Taylor Swift e Adele. Durante esse ano, Taylor Swift fez manchetes ao retirar seu catálogo de músicas de serviços como o Spotify, explicando suas razões numa carta aberta. “Música não pode estar disponível de graça e o modelo do Spotify depreciou o valor que a sociedade dá na música”, declarou a cantora. A atitude gerou debates mas não mudou muita coisa. Porém o golpe maior veio com o lançamento do álbum mais aguardado dessa década, o “25” de Adele, menos de um mês atrás, com a cantora vendendo mais de 3 milhões e meio de cópias em sua primeira semana, quebrando um recorde de 15 anos de vendas de estreia. Os números assustadores deram uma evidência real de que os serviços de streaming realmente afetam a venda de álbuns.

Spotify revelou em conversas privadas que no futuro, alguns artistas terão a opção de lançar seus álbuns apenas para assinantes premium, enquanto outros poderão remover suas músicas de usuários free. Artistas e gravadoras estão apoiando a ideia, porque além do aumento da receita recolhida, o gigante da indústria irá provocar um efeito dominó nos seus competidores.

Hoje o Spotify acumula 20 milhões de assinantes que pagam cerca de 10 dólares mensalmente, e 80 milhões de usuários free. Esses números devem mudar quado essa política for implementada, mas não se sabe ainda a consequência disso para a plataforma e nem a reação do mercado.